It Happened One Night (1934)

this post was written when Film Flare was a portuguese blog – use Google Translator to read it!

Ellie (Claudette Colbert), filha delicada e mimada de um milionário, ameaça casar com o playboy e notório oportunista Wesley. A fim de evitar futuras comunhões pouco dignas, o pai mantém-na presa num luxuoso iate. Ellie consegue escapar e, com rumo a Nova Iorque (onde Wesley a espera), compra um bilhete para uma longa viagem de autocarro; o que não esperava era ter de partilhar o último lugar disponível com Peter Warne (Clark Gable), um jornalista recém-desempregado que vê em Ellie a oportunidade de recuperar a sua carreira. É uma dupla que nasce por necessidade, não por amizade; e como tal, não se suportam – mas isso resolve-se à medida que os quilómetros passam.

É verdade que isto é uma história mais que batida, um cliché absoluto. Mas é também verdade que com It Happened One Night, foi a primeira vez que a contaram. E não é só pelo enredo que a obra de Capra se destaca como pioneira.

Este foi também um dos primeiros filmes a ser sujeito à censura cinematográfica americana, uma vez que em 1934 já não estávamos na terra prometida do Pre-Code, mas sim nos primórdios da câmara escura que foi o Hays Code. Por alguma razão Peter teve de separar a sua cama da de Ellie por um muro de toalhas e cobertores – que seria se dormissem em duas camas, separadas só por uma mesinha de cabeceira e um tapete. Com esta cena, It Happened One Night foi também um dos primeiros a tentar contornar o Código: apesar de separados pelo muro de Jericó, Ellie ainda tem tempo para presenciar o mini-strip de Peter antes de se retirar para o seu lado.

Foi ainda o primeiro filme na história a conquistar as cinco grandes categorias dos Óscares da Academia – Melhor Argumento Adaptado (Riskin), Melhor Actriz (Colbert), Melhor Actor (Gable), Melhor Realizador (Capra) e Melhor Filme. Mas pensem agora nisto: reza a lenda hollywoodiana que Clark Gable só fez o filme por castigo; que o papel de Ellie foi recusado por algumas das melhores actrizes da época; e que a própria Claudette Colbert só aceitou entrar no filme pelo dobro do salário normal, chegando mesmo a afirmar no final da produção que acabou de fazer “o pior filme da história”.

Esta ideia errada sobre a qualidade do filme está de certa forma relacionada com a sua derradeira inovação: em parceria com o aclamado argumentista Robert Riskin, Frank Capra praticamente criou o sub-género da comédia, screwball comedy – em português chamam-lhe “comédia maluca”, e verdade seja dita, estes filmes são uma sequência de parvoíces.

It Happened One Night marca ainda a transição de Frank R. Capra para Frank Capra, nome sob o qual realizou (curiosamente, com todas as limitações do Hays Code) alguns dos grandes filmes do cinema americano. 

0

2 Comments

  1. Josh
    January 18, 2014 / 4:48 PM

    I LOVE this movie! The history behind it is fascinating, especially since Gable allegedly said on the first day of shooting “Let’s get this over with.”

    • January 18, 2014 / 5:33 PM

      Me too!! To think how wrong actors can be, and how unpredictable the movie business was in that time…it’s fascinating!

Leave a Reply